O LOLLAPALOOZA E O ROCK BAIANO - EddBala Entretenimento

O LOLLAPALOOZA E O ROCK BAIANO - EddBala Entretenimento

Edd Bala

blog

O LOLLAPALOOZA E O ROCK BAIANO

Lollapalooza é um dos maiores festivais do mundo. Criado em 1991 pelo vocalista do Jane’s Addiction, Perry Farrell, o festival teve sua primeira edição aqui em terras brasileiras no ano passado, com Foo Fighters, Arctic Monkeys, Jane’s Addiction, Joan Jett e outros como principais atrações nos dois dias de festival. Neste ano, o grande número de atrações internacionais não foi diferente, com Pearl Jam, The Killers, The Black Keys, The Hives, Kaiser Chiefs, Franz Ferdinand, Queens of The Stone Age e outros, que se dividiram entre os 3 dias de festival. E o festival já está confirmado para 2014, novamente com 3 dias de festa.

Tudo isso acompanhamos em várias manchetes por aí a fora. Dentre as atrações menos badaladas, os festivais do ano passado e deste ano tiveram algo em comum. A força do rock baiano. O Lollapalooza apresentou nos dois primeiros anos aqui no Brasil diferentes fases do rock da “terra do axé”.

Em 2012, Marcelo Nova (Camisa de Vênus) e a banda Cascadura foram atrações, e mesmo tocando nos primeiros horários do festival fizeram o público pular e cantar, fazendo justiça ao convite para a primeira edição do Lollapalooza Brasil.

Neste ano quem representou o rock baiano foram as bandas Agridoce e Vivendo do Ócio. O duo Agridoce, formado pelos baianos Pitty e Martin, se apresentou no mesmo dia que o The Killers, embalando o público com suas canções serenas e bem trabalhadas. No domingo, dia do encerramento do festival, que teve Pearl Jam como última atração, a banda Vivendo do Ócio se apresentou no início da tarde, com um show firme e com a ajuda do público para animar os refrões, a banda ainda surpreendeu levando a dupla de repentes Caju e Castanha ao palco.

Após dois anos de Lollapalooza com o rock baiano em evidência, fica a pergunta: a Bahia é do axé ou do rock?

A verdade é que além das quatro bandas presentes no festival, o rock baiano tem mostrado que nem só de axé se vive, e isso não é de agora. Temos ainda hoje bandas como Retrofoguetes e O Círculo, com destaque no cenário independente. Já tivemos a banda Penélope em destaque nacional nos anos 90, a Camisa de Vênus, com anos de carreira e sucesso, a Pitty que estourou em 2003 e hoje faz turnê com o projeto Agridoce, os Novos Baianos, que marcaram o rock e a música brasileira na década de 70 e, pra completar, um dos maiores nomes do rock nacional, Raul Seixas.

Se o rock baiano ficou escondido na década de 90 com o “boom” do axé, na última década podemos dizer que ele acordou, e resolveu fazer barulho.

Por tanto, fica a dica: se for a Bahia, prove o acarajé e conheça os pontos turísticos, mas não esqueça de reservar umas noites para conhecer a cena rock da cidade, pois a chance de conhecer por lá futuras grandes bandas do rock nacional é grande!

Matéria Original: Pomba Rock

Deixe aqui seu comentário: